Deutsches requiem

Dieguito Maradona. Você compraria um livro desse homem?

Em 2007, a Feira do Livro de Frankfurt provocou polêmica com os espanhóis ao homenagear os catalães, com quem tem um relacionamento tenso. Agora é a vez dos filhotes hispânicos, nossos “hermanos” argentinos, ficarem furiosos. Deu na Folha: a feira de 2010 terá como tema a Argentina (em 1994 foi a vez do Brasil). Até aí nada demais, mas vejam só quem vão ser os ícones argentinos nessa tradicional feira literária e editorial: Diego Maradona, Carlos Gardel, Eva Duarte de Perón e Ernesto Che Guevara! (Até onde se sabe, os dois primeiros nunca escreveram nada. Evita, aquela cujo marido gostava dizer “alpargatas sí, libros no“, escreveu um best-seller, mas com a ajuda de um ghostwriter. Guevara deixou várias obras, mas não foi com a ajuda de uma Olivetti que fez sua fama.)

Ficaram de fora Jorge Luis Borges, Julio Cortázar, Ernesto Sabato, José Hernández etc – uma lista interminável como uma biblioteca do primeiro.

Ignorância alemã? Nein, foi o próprio comitê organizador da representação argentina que escolheu esses nomes. O presidente da Academia Argentina de Letras, Pedro Luis Barcia ficou horrorizado: “É como se o Brasil escolhesse Pelé e João Gilberto no lugar de Machado de Assis e Guimarães Rosa. Ou como se pedíssemos a Messi para entrar na Olimpíada com uma foto de Borges. Estão misturando as coisas.” Marcos Aguinis, autor de “O Atroz Encanto de Ser Argentino” (numa comparação grosseira, um “Raízes do Brasil” argentino), foi além: “É lamentável que o populismo se alie à ignorância para produzir um resultado catastrófico.”

Os responsáveis pelo imbróglio se defenderam. “Com esses ícones, queremos simbolizar distintos aspectos da vida argentina”, afirmou Magdalena Faillace, responsável pela comissão organizadora.

Barraco armado, o comitê organizador cedeu um pouco: Borges e Cortázar acabaram incluídos. Mas não pensaram em nenhum escritor vivo – sorry, Sabato.

Mais sobre essa história aqui e aqui.

Anúncios

Tags: , , , ,

2 Respostas to “Deutsches requiem”

  1. Iris Says:

    Quem sabe até lá o Maradona vai escrever um livro. Uma autobiografia!

  2. Jean-Philip Albert Struck Says:

    É. Aposto que ele bom para falar sobre a “carreira”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: